Good bye, my almost lover.

Postagem de número 65 (e a última)

De alguma forma, nós crescemos. O cavalo branco, o príncipe encantado e o "felizes para sempre" são meros sonhos de infância que paramos de acreditar.
No pior dia da sua vida, você acorda e toda sua inocência e sonhos somem; evaporam; desaparecem. A vida passa de um colorido lindo para o preto e branco.
Você vai sofrer, vai fazer juras de amor que não pode cumprir. Você vai chorar. Ele vai virar as costas como se nada tivesse acontecido, e nem vai olhar pra trás. Chorar por dias afim da dor passar. Mas nunca passa. O tempo sim passa, mas os caquinhos do seu coração continuam ali, jogados no chão.
Quando o passado se faz presente, quando insistimos chorar por ele, ele nunca é esquecido.
Nós pegamos o pedaço do nosso coração ferido por ele e delicadamente guardamos na gavetinha que os faz importantes; inesquecíveis.
Daí nosso coração remendado, esburacado, volta a vida. Com as feridas ainda frescas, pois elas doem como se fosse ontem que tudo acabou.
Eu realmente precisava de você, eu disse que você ia sumir e evaporar como bolhas de sabão. Eu sabia.
As lembranças, os abraços, as risadas. O amor. Nada será esquecido. Você e eu.
Preciso desesperadamente viver. Porque agora eu acho que estou afundando, mas eu preciso lutar.
Com amor, e um adeus de quem eu sempre fui. Hayley Nichole Williams.

2 Desnecessariedades.:

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Adoro apagar meus comentários pensando ser outros. Eu havia dito que vou ajudar-te a voltar à vida. Verás a luz novamente, um coração sangrando na paixão com alguém que te faça sentir uma princesa. O príncipe existe, basta não procurá-lo em homens errados, com pensamentos errôneos e com cabeça de criança. Amo-te, amiga.